20ª SNCT: 80 estudantes do Ensino Médio participam de hackathon de combate à desinformação sobre vacina

82

Estudantes da escola CEM Setor Oeste, da rede pública do Distrito Federal, venceram o hackathon realizado neste sábado (21) durante a 20ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT). A disputa, que teve o objetivo de enfrentar a desinformação sobre vacinas nas escolas, foi promovida pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Ministério da Saúde e a Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (Secom).

Durante todo o dia, 80 estudantes participaram de dinâmicas em grupo, sob a coordenação de mentores em comunicação, formulando ideias e estratégias para o desenvolvimento de soluções para o combate às fake news sobre a aplicação de vacinas. O hackathon é uma iniciativa pioneira de educação midiática que tem no jovem o principal protagonista. A atividade contou com a participação de mentores do Instituto Vero, Safernet Brasil, Instituto Palavra Aberta, Intervozes e Redes Cordiais.

De acordo com dados da Secom, as principais narrativas utilizadas contra a vacina da Covid-19 são risco genético, reações adversas e efeitos colaterais de vacina experimental e intoxicação infanto-juvenil.

Sete grupos de alunos passaram o dia identificando, debatendo e preparando a apresentação de estratégias e soluções. Venceu o grupo que criou um jogo de tabuleiro chamado Vax Squad. Entre os critérios utilizados pelo júri para a escolha do vencedor estavam a eficácia, originalidade, viabilidade e inovação do projeto, além da participação em grupo e apresentação final.

“Foi maravilhoso reunir jovens e formar uma força para conseguir levar criações e inovações para o país. Vamos colocar em prática na escola e incentivar outros colegas a participarem”, disse Caio Leal, do 2º ano do Setor Oeste.

A premiação será nesta terça-feira (24), durante o lançamento do projeto Saúde com Ciência, no Centro Internacional de Convenções do Brasil. As medalhas serão entregues pelo Zé Gotinha.

“Os alunos tiveram uma criatividade imensa. Conseguimos alcançar o objetivo. Todos os projetos foram de alto nível, pensando soluções para a vida real”, ressaltou a coordenadora-geral de Educação Midiática da Secom, Mariana Filizola.

“O resultado foi incrível. Quando a gente coloca a juventude no protagonismo, quando a gente ouve a sociedade civil, quando a gente dá voz, a gente consegue ter retornos que contribuem para o desenvolvimento de políticas públicas”, afirmou a coordenadora de Popularização do MCTI, Luana Bonone.